23 setembro 2009

Sindrome de Thundercat

Thundercats HOOOOO!!!! Era o grito de guerra de Lion para que seus amigos se preparassem para a batalha. Juntos, aquele pequeno grupo de felino-humanos combatiam todas as forças do mal no terceiro mundo depois da destruição de Thundera, principalmente o grupo arqui-rival comandado por Mumm-Rá e seus lacaios os Mutantes que viviam anteriormente em Plunn Darr. O restante da comunidde do terceiro mundo era muito pacífica para lutar. Vejam os robberbills por exemplo, um grupo de ursinhos que não tinham nem como se movimentar muito rápido de tão gordinhos que eram, que dirá lutar.


Pois é, vendo essa história, lembro muito da situação da igreja brasileira. A realidade por onde passo ministrando é sempre a mesma: Um pequeno grupo de “heróis”, lutando contra todo um arquitetado reino de injustiça ao redor da torre de vigília. As estatísticas dizem que apenas 3% da igreja trabalham para alimentar os outros 97%. Os roberbills gospel, estão por aí aos borbotões, gente pacata, porém tomada pela inércia do comodismo cristão dos nossos dias. Estão recebendo alimento e proteção, então ta bom!


O resultado dessa batalha desigual é sempre o mesmo, ao contrário dos thundercats que pela tradição do desenho são sempre os vencedores, no reino de Deus, existem pastores e líderes sendo triturados por esse sistema que ribomba e transtorna os 3% que ainda estão de pé lutando. Eu poderia aqui citar “N” exemplos e estatísticas para embasar o que falo, mas não precisa, está visível e quem faz parte dos 3% sabe do que estou falando.Que Deus levante uma geração de gente valente, que parta para o campo de batalha sem medo do que lhe poderá fazer Mumm-rá e seus asseclas.

E pra fechar, vai aí pra você o grito que pode e deve te tirar do conforto e te fazer agir contra o que está posto aí fora: ACORDA, TU QUE DORMES!!!!!!!!! CRISTO, RESPLANDECERÀAAAAAAA!


Blog do Pr. Márcio de Souza

22 setembro 2009

Jesus Culture - How He Loves Us

Essa canção tem falado muito aos meus ouvidos e o meu coração nos últimos dias...

Apreciem e O adoremos ETERNAMENTE por tanto amor!



Levitas??? (Eu não sou um)

Olá meus irmãos!

Depois de um fim de semana inteiro retirado na cidade de Sapiranga, estando intensamente com o meu Deus, estou de volta para compartilhar algumas outras coisas com vocês. Espero que pensem e opinem!


O texto a seguir eu li no blog Genizah Virtual. O autor coloca as claras por que não se deve chamar um músico de levita.


Espero que entendam, por que de fato o que ele escreve é fato e eu, desde que comecei a entender um pouco da bíblia, entedia que não havia moral pra me chamar de levita!


Enfim, um texto esclarecedor que compõe esse entendimento!


E... por favor, (eu também sou músico) não me chamem de levita!



Como alguns ja sabem, eu sou músico, e atuo com música na igreja há alguns anos. Pra terem uma idéia, aos 7 anos mais ou menos (quando comecei a "violar o tocão") no meio do culto pedia pro meu pai abrir espaço pra eu sentar no palco e tocar uma das duas canções que eu conhecia: "Meu Barco é Pequeno", ou então "Quando Estou com o Povo de Deus", verdadeiros clássicos do cancioneiro cristão (rs).

Vinte e dois anos se passaram desde o garotinho com duas músicas no repertório, nesse tempo eu vi e ouvi muita coisa. Desde a superproduzida galera do Salt, passando pelos "corinhos" singelos e desafinados da Romilda. O som adolescente do Rebanhão, o rock rebelde do Brother Simion. Até chegarem os importados Maranata! e Hosana! (pra quem não conhece, eram dois selos americanos rivais, o avós do Hillsong e do LifeHouse).


Talvez uma das mudanças mais destrutivas que vi nesse período tenha sido a transformação do serviço de música em "Ministério Levítico". Há até o absurdo de um projeto para um programa estilo "Ídolos" que se chamaria "Levitas". Felizmente o projeto não saiu do papel (ainda).


Primeiramente o que é um levita? Trata-se de uma famíla, uma das 12 tribos de Israel, que era destinada a TODO serviço no tabernáculo, e mais tarde no templo. Eles eram músicos. Mas também eram porteiros, faxinheiros, sacerdotes.Acender o menorá, trocar os pães da preposição, a água da bacia, isso era função do levita. Também eram carregadores. Somente eles eram autorizados a carregar a arca da aliança e as partes do tabernáculo, que eles mesmos montavam e desmontavam sempre que a nuvem ou a coluna de fogo estacionassem em algum ponto do deserto.Então a música era apenas uma dentre tantas funções dos levitas. Curiosamente o livro de "Levítico" não tem nenhuma canção.


Nesse ponto alguns chegam a pensar: "Então todo mundo que trabalha na igreja deveria ser chamado de levita"... Ao que caberia a resposta: "Se essa igreja não fosse cristã, pode até ser".Isso porque Jesus, o fundador da SUA igreja, não era levita. Ele era da tribo de Judá, certo? Logo aqueles que foram gerados nele não são gerados pela linhagem de Levi. Isso dá um nó na cabeça.


No capítulo 7 do livro de Hebreus há uma excelente explanação sobre o tema. Sobre Jesus, Paulo afirma que ele é "sacerdote eternamente segundo a ordem de Melquisedeque"."De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?"Então Jesus e nenhum de seus seguidores são feitos levitas. (nem mesmo os músicos... rs)


O que nos leva a outro ponto ainda mais delicado. Vejo muita gente falando em "Ministério de Música" ou o pior ainda "Ministério de Louvor e Adoração". Oras, se é de fato um ministério de Louvor e Adoração, podemos definir o que é Louvor e Adoração?Tecnicamente falando, ja ouvi o Gerson Ortega definir (em linhas gerais) Louvor como exaltação, e adoração como Gratidão. Gostei demais. Mas parece que ele esqueceu de botar a música na parada. Sim, pois os "ministérios de louvor e adoração" que conheço são todos de músicos.


Num outro artigo meu publicado aqui cheguei a definir adoração em espírito e em verdade. Se você der uma olhadinha la vai perceber que essas coisas não são do tipo que podemos confiar que outros façam pela gente. Louvar e adorar não são "ministérios", mas sim atitude daqueles que conhecem o amor de Deus.


Também não gosto de chamar as músicas cristãs de "louvores". Afinal, a canção pode se tornar louvor de acordo com o coração de quem canta. Ou pode se tornar vergonha para Deus, se for entoada em glória própria. Logo uma música também não é louvor, tanto quanto um prato não é comida e um copo não é bebida. A música é apenas um dos possíveis recipientes do louvor, que pode ser expresso das mais diversas formas. Até mesmo lavando os pés do mestre com suas lágrimas e os enxugando com seus cabelos.


Quem diria que uma higienização tão peculiar poderia ser uma manifestação de louvor?Se para você (assim como para mim) parece que ao chamarmos os músicos cristãos apenas de "músicos", e as músicas cristãs apenas de "músicas" estaremos rebaixando-as de categoria, então aparentemente estamos no caminho certo.


"Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado." Lucas 14:11


***


18 setembro 2009

Amamos as crianças! E tem cada uma...

Olá meus irmãos! Como eu gosto muito de crianças, quero compartilhar aqui algumas imagens bem divertidas das artes dos pequenos! #sópradescontrair!
















15 setembro 2009

Carta ao Pr. Silas Malafaia: Sobre o seu Comprometimento com a Teologia de Satanás

Quero aqui postar uma carta escrita por um amigo twitteiro chamado Eliel.
Também quero dizer que faço de cada palavra dele escrita nesta carta, as minhas...

Também nunca fui de me dirigir aos fatos citando nomes, mas esse fato me incomodou por demais!

O fato de sua indignação é a mesma minha, por isso leiam até o fim (se conseguirem) e tirem suas conclusões!
E por favor, meus irmãos, não se escandalizem, mas sejam racionais, pensadores inteligentes e compreensivos pra que nossa comunhão continue saudável até a eternidade e busquemos no único propósito de agradar ao coração do Pai sendo disponíveis para fazer a Sua total vontade!

Abraços fraternos
Lucas Miller


Segue carta abaixo...


Caro Pastor Silas Malafaia,

Antes de dizer qualquer coisa, devo ser sincero e dizer que o “caro” na saudação acima foi apenas por educação, uma vez que não vejo atualmente algo que possa identificar como louvável em você ou em suas recentes atitudes.

Apesar de bastante crítico, sou uma pessoa calma, que não briga e que raramente fica nervosa com alguma coisa. Também, apesar de já ter escrito dezenas de críticas contra posturas evangélicas que considero – para dizer pouco – prejudiciais à fé, em todos meus textos eu jamais escrevi uma carta criticando uma pessoa de forma direta. Jamais havia considerado alguém (ou uma ação de alguém) tão prejudicial ao ponto de sobre este alguém (ou sobre sua atitude) escrever um texto especificamente, mas você conseguiu esta façanha. Você foi o primeiro a realmente me deixar nervoso, irritado ao ponto de sentir nojo de alguns ensinamentos que você tem proferido.

Em homenagem à sua façanha, estou te escrevendo esta carta. Mas, por favor, não a interprete mal. Apesar de sentir nojo de algumas coisas (lê-se "quase todas") que você diz, eu o respeito como pessoa e como pensador. Afinal de contas somos todos nós criaturas do mesmo Deus, dotados da mesma capacidade racional e, claro, sujeito aos mesmos erros e enganos. Talvez no fim das contas eu esteja errado, e você certo. Mas, se assim for, te dou a oportunidade através desta carta de defender suas práticas e seus ensinamentos. Estou aberto a ouvir e analisar tudo o que disser, desde que diga com amor, e fazendo bom uso da razão simples. Apenas não venha com frases do tipo “
sou profeta de Deus e você me respeite” ou “oro para que Deus te perdoe pelas suas blasfêmias” ou “não toque no ungido do Senhor”. Nada destas ladainhas de pastor que não quer ser criticado me interessam.

Para dizer a verdade, não estou nem interessado em travar debates sobre prática X ou Y, pois tais debates seriam infrutíferos, uma vez que você é mestre em manipular passagens bíblicas a seu favor como você já demonstrou diversas vezes em seus programas. Estou apenas me expondo aqui, com sinceridade, analisando suas práticas e ensinamentos à partir da maneira como as coisas "espirituais" soam a mim. Que Deus seja testemunha de que em nenhum momento desta carta eu disse algo que não esteja de acordo com a maneira como eu entendo e concebo a Palavra do Evangelho.

A prática principal vinda de você que me enoja é a famosa Teologia de Mamom. Sinceramente, deixe-me lhe perguntar: você não tem vergonha na cara de defender hoje tudo o que você pregou fervorosamente contra no passado, quando ainda era um defensor da pureza e simplicidade do Evangelho? O que aconteceu com você Silas? Como um pastor pôde se vender a tudo aquilo que uma década atrás criticava? Será que foi por causa do bigode? Será que se uma pessoa cultivar um bigode por muito tempo, quando ela o raspar, a ética irá junto pelo ralo? Ou será que você só raspou o bigode para tirar a imagem “pesada” que você tinha e assim ficar mais apresentável e bonitinho na hora que arrancar dinheiro do povo? Se for isso eu entendo, afinal, marketing é tudo! Já que você considera proveitoso gastar milhões de reais com um programa de TV que, em sua metade, consiste apenas de petições de esmolas aos tele-espectadores, sim, você precisa se aparentar bem.

É muito engraçado até. Na primeira parte do programa vemos um Silas nervoso, enraivecido, crítico em relação a aquilo que ele considera errado e muito gritador em sua pregação. Depois, aparece um cenário claro, com uma musiquinha calma e tranqüila de fundo e aí aparece o Silas, mansinho, calminho, voz tranqüila, quase sussurrando, parecendo um vovô sereno. Objetivo? Claro, pedir dinheiro. Para tal empreitada o bigode realmente atrapalhava, eu entendo. E para esmolar as justificativas são sempre as mesmas: estamos passando por dificuldades, o programa precisa de recursos para se manter, blá, blá, blá, temos uma cruzada profética, blá, blá, blá, etc.

Porém, ao que parece, precisa-se de algo mais para atrair a boa vontade das pessoas em doar seus custosos recursos ao "ministério": as promessas de prosperidade.

Oh sim! Semeie irmão! Semeie na obra do Senhor (lê-se, na conta do pastor), precisamos de pessoas liberais para doar para a obra! Deus não precisa do seu dinheiro, mas eu preciso! Doe aqui 900 reais e eu te dou de presente uma Bíblia da Vitória Financeira! Olha só, tá vendo que grande negócio? Além de ser abençoado com uma unção financeira especial você ainda vai ganhar uma Bíblia novinha, tá vendo? Mas claro, meu irmão, além de semear você precisa exigir de Deus sua vitória, pois se você doar apenas por amor você é um trouxa (fonte)! Ô Aleluia, glória a Deus! Doe e receba a unção financeira especial para a sua vida!

Quando eu escuto estas babaquices, caro Silas, em vão eu me pergunto: onde raios a Bíblia fala sobre “unção financeira especial”? Este termo existe na Bíblia? Onde a Bíblia ensina a “doar com liberalidade” com o objetivo de receber “bênçãos financeiras” de Deus? A sua Bíblia diz estas coisas? Pelo menos a minha não, afinal, a Bíblia que eu leio não é a Bíblia da “Vitória Financeira”, é uma Bíblia normal e comum.


E aqui temos, você, caro Silas, como um dos pastores mais assistidos do Brasil, levantando a bandeira de uma prática funesta, nojenta e totalmente anti-bíblica (para não dizer satânica). Quando foi que Jesus prometeu riquezas para seu povo? Quando foi que Jesus disse que devemos ofertar esperando que nosso empregadinho “Deus” nos encha de dinheiro? Quando foi, aliás, que Jesus incentivou alguma pessoa a buscar riquezas como objetivo principal de sua vida? O que Jesus disse ao jovem rico: que ele semeasse um pouco na obra do Senhor (afinal, Jesus nem jumentinho próprio tinha) para que ele ficasse mais rico ou para que ele doasse TUDO e entregasse o dinheiro aos pobres? Como conciliar as promessas de vitória e prosperidade inventadas por vocês com passagens como "no fundo tereis aflições" (Jo 16:33), "o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males" (ITm 6:10) ou "é mais fácil um camelo passar no buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus" (Mc 10)?

Diga-me, caro Silas, se Jesus estivesse no seu lugar, ele pediria as pessoas para doar ao Ministério ou diria as pessoas que vendessem seus bens e doassem aos pobres? Jesus iria mandar imprimir uma Bíblia de “Vitória Financeira”? Aliás, Jesus teria um programa de TV ou estaria nas ruas chorando com os que choram? Sobre as ofertas, será que viuvinha ofertou exigindo vitória financeira de Deus? Ou ela ofertou com amor? Se foi com amor, será que Jesus foi até ela e a chamou de trouxa, como você fez certa vez em rede nacional? A propósito Silas, minha mãe é trouxa? Pois ela nunca exigiu riquezas da parte de Deus e sempre ofertou com amor.

Quem estiver lendo esta carta pode se perguntar: mas isso foi a tanto tempo, porque você ficou nervoso com o Silas justamente agora?

Bem, foi após ver este vídeo:



Que cena mais ridícula, Silas. Você está apelando para a "numerologia gospel" agora? Então se estamos em 2009, devemos doar 900 reais para sua conta e esperar que até antes de 1º de Janeiro de 2010 vamos ser abençoados com uma “unção financeira especial”? Ora, de onde tal idiotice saiu? Foi da Bíblia? Onde eu encontro isso? Será que Jesus no ano 29 d.C. pediu ofertas de 29 denários em nome do seu ministério, prometendo assim, em troca, vitória financeira antes do dia 1º de Janeiro do ano 30 d.C. a quem ofertasse? Da boca de Jesus tal asneira não sairia. Então Silas, se seus ensinamentos não estão comprometidos nem com a Bíblia nem com a mensagem de Jesus estão com o que?

Pense um pouco: quem na Bíblia prometeu riquezas a Jesus quando este estava jejuando no deserto?

Diga-me, caro Silas, acaso você já parou para pensar na salada anti-bíblica que você está injetando na mente das pessoas? Como uma pessoa que há poucos anos atrás pregava contra a Teologia de Mamom pode ter mudado assim? Como uma pessoa como você pôde se vender a princípios de Satanás, Silas?

Talvez tenha sido rude demais nesta carta, mas é desta forma, inconformado e profundamente irritado, que me fico toda vez que ligo a TV e vejo você falando asneiras anti-bíblicas e jogando na privada todos os princípios de humildade e amor ao próximo ensinados por Jesus.

"Negar os princípios de amor ao próximo?", você pode se perguntar. Sim Silas. Toda vez que você exige prosperidade de Deus, ou, aliás, toda vez que você sequer pensa que Deus deseja que você seja rico enquanto tem pessoas lá fora morrendo de fome, você nega o princípio de amor ao próximo. Não sei quanto a você Silas, mas eu fico com vergonha e até triste por ter o que comer do bom e do melhor em casa enquanto tem crianças no nordeste que comem farinha misturado com terra.

Olhe para a imagem ao lado. Sabe do que se trata? Ela foi tirada por Kevin Carter em 1993 no Sudão. A foto retrata uma criança a beira da morte, certamente por inanição e, próximo a ela, um abutre a espreita que seu "almoço" morresse rapidamente para comê-la. Kevin Carter se suicidou cerca de um ano depois que sua foto foi publicada. Ao que tudo indica, ele não conseguiu viver com as lembranças do que ele viu no Sudão. Enquanto isso, aqui na América, Silas Malafaia, Edir Macedo, Ministério A-pá-sentar na Cabeça e outros idiotas da "prosperidade" pregam que Jesus "prometeu" riquezas para crentes e não estão nem aí para as milhões de crianças que estão morrendo de fome no mundo.

Silas, sabia que durante o tempo de seu programa "evangelístico" de TV cerca de 700 crianças morrem de fome no mundo? Puxa, como isso deve entristecer e enraivecer o coração de Jesus!

Esta carta foi um desabafo. Se fui grosso demais ou não, fica a cargo de Deus decidir. Não sou o melhor dos cristãos, sou um grande pecador, mas hipócrita eu não sou. Acredito que Deus aprecia mais a sinceridade do que a falsidade, e Ele sabe que eu fui sincero em cada palavra que eu escrevi, como também sabe que elas estão totalmente de acordo com a maneira pela qual eu entendo o Evangelho.

Será que você pode dizer a mesma coisa Silas?


Eliel Vieira
eliel@elielvieira.org


Blog do Eliel Vieira

14 setembro 2009

Plaquinhas "Jesus Breve Voltará"

Pra quem não sabe quem espalha aquelas plaquinhas de lata (nem eu sabia) escritas "JESUS BREVE VOLTARÁ"...

Tá aí!!! Não tenho informações de quem é esse senhor, mas alguma coisa ele esta fazendo pra anunciar o Reino... Isso é importante!

Jesus - SelF Service

VISITE - www.emeurgencia.com

10 setembro 2009

A Construção de Deus


“as suas ruínas antigas serão reconstruídas, você levantará paredes em cima de alicerces de tempos passados. Vão chamá-lo reparador de brechas e restaurador de ruínas, onde se possa morar”.

Isaías 58:12 – Versão Pastoral Editora Paulus


Uma classe especial de pessoas se levantará no meio de ruínas. Antigos lugares serão reerguidos e os saudosos momentos que habitavam somente a memória dos que viveram os dias da glória do avivamento poderão ser revividos.

Lugares assolados, histórias esquecidas, cacos de um passado perdido agora serão reunidos em uma nova construção que será erguida a partir do mesmo local onde em tempos passados já se ouvira o brado de festa de um povo remido por seu Deus.

Está é a promessa de um avivamento que irá ressuscitar os mortos e abatidos, chamando-os do meio das cinzas, erguendo da cova os desanimados, firmando os passos dos que andavam tropeçando.

Fundamental reconhecer que a construção só poderá ser realizada sobre o mesmo alicerce lançado no princípio. Por quê? Porque ninguém pode colocar um fundamento diferente daquele que já foi posto.

Os reparadores de brechas desta geração, deverão se dispor como bons construtores a erguer as novas paredes do Templo sobre o mesmo alicerce do antigo.

Nosso risco como profetas, apóstolos, evangelistas, pastores e mestres nestes dias é o de perverter o fundamento da obra em virtude de nossas decepções pessoais, ou pior ainda, por causa das transformações sociológicas e filosóficas mascaradas de moderinidade, no mundo ao nosso redor.

O fundamento não é parte do Sistema, mas emerge de dentro dele tal como a raiz do agente do bem que, segundo a habilidade do construtor, pode crescer e evoluir, ou não.
Se o fundamento da construção é Jesus, as pedras são a geração eleita, que é o povo adquirido por Deus.

Para entender bem a Construção, eis uma linha de estudo:

1) Isaías 58:12 diz que haverá uma restauração e que o prédio será erguido sobre os mesmos alicerces. Os construtores serão os reparadores de brechas!

2) I Coríntios 3:5-13 fala que o alicerce é sempre Jesus, nunca outro, e que construímos o prédio utilizando nossos dons, talentos e chamados (chamando e edificando pessoas na fé).
Advertências: I Cor. 3:12-15 afirma que cada ministro deve cuidar de si mesmo na maneira como constrói seu prédio usando o nome de Jesus. Nossa obra pode ser perene em sua durabilidade ou pode murchar com o tempo e ainda ser queimada pela ação violenta da prova de fogo de Deus.

3) I Pedro 2:5-9 narra a natureza do edifício: vidas sendo edificadas como casa espiritual, conduzidas ao sacerdócio e à adoração a Deus.

Pedro fala acerca do alicerce como sendo uma Pedra ambígua! É uma Rocha sólida e firme para os que crêem e escândalo e tropeço para os desobedientes.

Enfim, a Construção de Deus é uma geração eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, um povo adquirido... profetas e apóstolos chamados reparadores de brechas que erguerão este prédio sobre um fundamento sólido, o qual dará testemunho de Deus como uma Luz no meio do mundo em trevas.

Vi no blog Amigo do Noivo

Aforismos!


O bem estar confiável de um ser é quando ela se sente segura ao se expor para O invisível e acreditar com pura fé que aquilo existe.

CASAR POR QUÊ?

A sociedade estabeleceu um novo paradigma nas relações homem e mulher. Hoje, viver amigado é muito normal. Cada um na sua, morando juntos ou não, porém tendo uma vida sexual ativa e todas as conseqüências da mesma. Na Bíblia, a relação sexual é encarada como consumação do casamento. Mas se posso viver amigado, casar por quê?

Primeiro, casamento é um sinal de respeito. O casal que resolve se unir em núpcias, escolheu tal coisa porque um decidiu respeitar a individualidade e a privacidade do outro. Segundo, casamento é sinal de intimidade. Quando você transa com seu parceiro(a), você se faz uma só carne com ele(a). Se você tem mais de um parceiro(a), você está se despedaçando toda(o), deixando sua carne se misturar por diversas vezes com outra carne que não é a do seu cônjuge. Isso faz de você prostituta(o). Terceiro, casamento é sinal de compromisso. Quando você recebe seu parceiro em casamento, você está assumindo um compromisso de amar, respeitar, ser fiel e cúmplice nessa relação. Isso não é brincadeira, portanto o padrão estabelecido na Bíblia nos diz que a monogamia é o tipo de relação que Deus aprova e que o casamento é a instituição na qual ela se concretiza.

Eu poderia ficar aqui enumerando diversos motivos para que você entenda que o casamento é uma instituição divina, mas acho que basta dizer que Jesus resolveu tipificar sua relação com a igreja se denominando “Noivo”. Importe-se com a integridade do seu namorado(a), isso vai fazer diferença na hora do casamento, pode ter certeza disso.



Vi no blog do Marcio de Souza

03 setembro 2009

Irmão Tony Campolo


“Enquanto você dormia ontem, 30.000 crianças morreram de fome ou de doenças relacionadas a má nutrição. E mais, a maioria de vocês nunca ajudaram em merda nenhuma. E o que é pior: você está mais perturbado com o fato de eu ter dito “merda” do que com a notícia de que 30.000 crianças morreram de fome na última noite.”Frase de Tony Campolo, pregador e escritor cristão durante uma palestra para estudantes universitários na década de 1980.


Em outra ocasião quando participou de uma conferência anual organizada pela Associação das Mulheres Cristãs,durante a conferência, a presidente da Associação leu em alta voz a carta de um missionário que estava precisando urgentemente de quatro mil dólares.

Depois de ler essa carta de apertar o coração, a presidente disse: “Então, gostaria de pedir ao pregador de hoje, irmão Campolo, que orasse pedindo a Deus que supra a necessidade desse missionário. Irmão Campolo, poderá fazer uma oração?”.


Então, ele respondeu: “Não”, surpreendendo a presidente da Associação. E prosseguiu dizendo: “Eu não vou orar para que Deus preencha a necessidade do missionário. Mas contarei o que irei fazer. Eu colocarei em cima da mesa todo o dinheiro que tenho no meu bolso e peço para que todos façam o mesmo. Se todo o dinheiro arrecadado não completar os quatro mil dólares, então eu irei orar”. Em seguida, Tony Campolo esvaziou sua carteira.


Com isso, as trezentas pessoas presentes também esvaziaram suas bolsas e carteiras. Resultado disso, o dinheiro arrecadado ultrapassou a quantia de quatro mil dólares. Vendo isso, Campolo disse: “Nós não precisamos pedir para que Deus supra nossas necessidades, pois o que precisamos já está aqui.

Nós devemos orar para que possamos entregar essas coisas”.
----
Vixi...


Vi no blog A New Day

Será que é macumba?


Por muitas vezes ouvi brotar dos lábios de cristãos com problemas a seguinte pergunta: “Será que é macumba?” É um relacionamento que termina, uma doença que bate a porta, um abatimento financeiro, uma fase ruim, basta qualquer uma dessas coisas acontecerem que a galera logo começa a se questionar.
"É macumba?"

Quero esclarecer uma coisa aqui pra você amado leitor. Esqueça os ensinos de Mastral, Rebecca Brown, Itioca, Tio Chico e adjacências porque macumba não pega em crente! Funciona, é claro que funciona. Não seria idiota pra negar aqui a influência das forças do mal, mas quando o assunto é trabalho de espiritismo pegar em crente, a resposta é radical e única, não!

Vejamos o que diz o apóstolo João em sua carta:
“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.” (1 Jo 5.18)

Isso quer dizer o seguinte, se você nasceu de novo, o maligno não pode te tocar e ponto final. A crença de que o diabo pode tocar no crente através da macumba é muito divulgada no Brasil por conta do sincretismo religioso e da afluência de muitos ex-adeptos do espiritismo para a igreja evangélica sem receber o devido discipulado.

Se você tem passado por problemas e é crente, entenda, a vida é assim mesmo, tem altos e baixos, fases boas e ruins. Amadureça com as lutas e creia, Deus te marcou e o diabo não pode te tocar!

E no mais... tudo na mais santa paz!
Vi no blog do Márcio de Souza

02 setembro 2009

DIÁRIO DE UMA PROSTITUTA



Querido diário, hoje é o dia mais feliz da minha vida. Nunca me senti assim antes. Decidi mudar totalmente meu jeito de ser. Fazia muito tempo já não suportava mais encarar meu reflexo no espelho. Quero abandonar a vergonha. Hoje, posso dizer, nasci de novo. Encarei a morte e fui salva.




Fui pega em flagrante na cama. Ah, como me enojo da minha vida. Não consigo entender como pude chegar tão baixo. Fiquei sem reação, paralizada. Me senti sozinha, desprotegida e culpada. E não tiveram misericórdia. Me domaram e me carregaram do meu leito impuro. Abimael surpreendido pelos seus comigo, logo tratou de tentar explicar como foi que o “seduzi”. Palhaço!

Sacerdote barato!


Ainda somou-se aos meus acusadores que me arrastaram para a rua como se eu fosse um animal. Como me senti podre. Parece que enquanto me chutavam e xingavam me sentia tão sem valor, tão desprezível! Então, me puseram de pé diante da multidão curiosa. Sentia como se tudo desabasse sobre mim. Jamais esquecerei tanta vergonha e dor. Foi quando se dirigiram para ele.


Apenas havia ouvido a respeito das curas e milagres. Não pude desviar o olhar dele. Ele me atraía, embora minha vergonha fosse tamanha. Pronunciaram minha sentença. Seria apedrejada. Todos já estavam armados de pedra nas mãos. No entanto, indagaram a ele sobre seu parecer em relação ao que fazer comigo.Jamais me esquecerei daquele olhar. Ninguém nunca me olhou daquele jeito!Meus soluços abrandavam.Ele se inclinou ao chão e começou a escrever com o dedo.


Não pude ver o que escrevia. Os outros aguardavam atônitos preparados para me apedrejar. Aqueles segundos pareceram horas. De repente, ele se levantou e disse para todos em volta:- Aquele de vocês que nunca pecou que comece a atirar pedras sobre ela. Nesse momento já estava encolhida no chão, tremendo e chorando. Silêncio! Pude ouvir os passos que se iam retirando um a um.


Ao levantar os olhos já não havia ninguém além dele e eu.Ele se levantou de escrever no chão e olhou para mim e me perguntou: - Onde estão todos? Ninguém te condenou?Ao que respondi: - Não, meu Senhor! Ninguém!Então ele me tomou pela mão e me ergueu dizendo: - Muito menos eu te condeno. Pode ir, mas, não peque mais, certo? Nunca me senti tão amada e aceita. Muito menos perdoada! Minha gratidão jamais poderá retribuir tão grande salvação.Por isso, meu querido diário, não sei como vou sobreviver de agora em diante, mas sei que vou seguir este homem e conhecê-lo melhor.
Vi no blog Alma Marcada de Wânia Cardoso

Uma banda de rock que é útil para alguma coisa


Autor de Walk On: A jornada espiritual do U2 diz porque políticos dão ouvidos a Bono.

Quando Bono anunciou a formação de seu grupo de defesa política, o DATA, se encontrou com líderes evangélicos para falar sobre as necessidades do mundo, e tornou o intervalo do Super Bowl um evento espiritual, um livro contando a mensagem cristã e a missão do U2 já havia sido lançado.

Walk On:A jornada espiritual do U2 (Lançado no Brasil pela W4 Editora) foi escrito pelo pastor da Igreja Presbiteriana de Belfast, Steve Stockmam, que usa o trabalho do U2 em seus sermões e em seus artigos há 20 anos. A Cristianity Today conversou com Stockman sobre a influência – e a fé – que o U2 e seus integrantes trouxeram ao mundo.

O que faz Bono se destacar entre outras celebridades socialmente ativistas?

Eu penso que ele é único, e eu gostaria de pensar que ele é único por causa da sua fé. As pessoas que costumam falar de política e de coisas espirituais não estão por toda parte atualmente. O U2 é um dos poucos. Bruce Springsteen ainda está na área, mas não com a mesma relevância que ele tinha 20 anos atrás. Bob Dylan ainda está por aí, mas não da mesma maneira.O R.EM. está falando sobre libélulas, e não acho que eles tenham muito mais a dizer.

Eu acho que a vida excessiva de alguns pop stars os distraem dos problemas do mundo real. Embora eu não ache que Bono sempre esteve distraído, ele está muito envolvido com essas coisas. Eu acho que sua fé o mantém longe dos excessos da vida e também lhe concedeu uma missão.

Bono é único nesse mundo porque ele tem integridade, ele é famoso, possui um cérebro, e ele tem essa missão espiritual de querer trazer o reino para a Terra.

Por que os políticos dão ouvidos a rock stars como Bono?

Quando a porta da política foi aberta para Bono, todos esses políticos disseram: “Quem é esse cara?”, mas quando ele entrou pela porta, ele sabia como era seu caráter. Ele não chegou com um discurso de três linhas que alguém de fora deu para ele ler. Ele estava capacitado para se misturar com essas pessoas.

Eu li um artigo recentemente em que Bono discutia quão capaz ele era de se aproximar do presidente Bush e de outros políticos americanos com uma abordagem crista conservadora.

Ele disse, “Esses homens estão embasados na Bíblia, e eu conheço minha Bíblia, então, eu apenas conversei com eles sobre a Bíblia. Eu disse a eles quantos versículos falavam sobre a pobreza, eu disse a eles o que Jesus dizia da pobreza, e, a partir da bíblia, eu disse a eles que esse tema deveria estar na agenda deles”. Ele os venceu com provas bíblicas.Certamente, eu penso que quando nós entramos na vida de Bono, sua fé tem sido aquilo que mais energiza seu interesse pelas questões de justiça, pobreza e Aids.

Por que os cristãos evangélicos gostam do U2?

Isso provavelmente começa pela preferência por um bom rock, mas depois, eles também pegam exatamente o que a banda está tentando fazer. [Depois do primeiro álbum], eles começaram a fazer perguntas do domínio da fé.

Todo mundo quer nascer de novo, mas e o processo de crescer novamente? Para aonde nossa fé nos leva, que questionamentos são esses, onde estão esses dilemas? O U2 mergulhou de cabeça no meio desse dilema. Eles disseram, “O mundo é sobre isso, e nós vamos falar tanto sobre o que acreditamos quanto sobre aquilo em que não acreditamos”.
U2 saiu e foi viver no centro da tempestade, e agora eles podem cantar sobre a tempestade. Eles viveram no mundo real, e agora a mensagem deles se tornou mais significativa para o mundo real.

Com certeza, o novo álbum e a turnê Elevation têm sido um grande encorajamento para os evangélicos que vão aos shows e sentem um sensação de infinidade com a energia espiritual que Bono libera no momento. Eu acho que se você gosta de rock e se você é um cristão evangélico, o U2 deve ser algo a que você deve se apegar com orgulho.

Porém, existe um grupo de evangélicos que se opõe ao U2. E eu verdadeiramente ainda não pensei sobre isso, mas seria uma coisa interessante observar porque existe uma vasta diferença de opinião entre os evangélicos.

Se nós olharmos para trinta anos atrás, como o U2 poderia ser visto no contexto musical e espiritual? Qual seria o seu legado?

Eu acho que quando você olha para o passado do U2, haverá mais coisa do que o rock deles. Woody Guthrie disse, “Música tem que ser mais do que boa. Ela tem que ser útil para alguma coisa”.

Eu acho que a música moderna é, em alguns casos, uma porcaria. O novo álbum da Sheryl Crow é muito bom,mas não é útil para nada. Ele não está dizendo nada. É superficial.
Quando as pessoas olharem para o passado do U2 elas terão que dizer, dentro desse período do rock, que eles foram a banda que mais contribuiu socialmente, espiritualmente e politicamente. Eles serão lembrados mais do que apenas uma banda de rock, mas uma banda de rock que foi útil para alguma coisa.

Tirado do site Cristianismo Hoje