06 julho 2009

ENTÃO, COMO VAMOS CONSTRUIR? - PARTE 2

Dando seguimento ao texto "O PADRÃO DO NOVO TESTAMENTO - PARTE 1", segue abaixo o texto "ENTÃO, COMO VAMOS CONSTRUIR? - PARTE 2" pré-concluindo o pensamento em relação ao comportamento do serviço da Igreja.

ENTÃO, COMO VAMOS CONSTRUIR?

Podemos trabalhar com Jesus na construção de Sua Igreja, ministrando Sua Vida uns aos outros. Ele declarou que Ele é "a Vida" (Jo 11:25). Portanto, quando O compartilhamos com os outros, estamos construindo a Igreja. Conforme O seguimos, Ele nos guiará a usar de maneira certa os dons e os ministérios que nos deu para edificar a outros. Por meio de nosso relacionamen­to íntimo com Ele, iremos receber uma revelação viva, cheia de sabedoria e de direção. Após isso, podemos compartilhar o que recebemos. Essa Vida produzirá, então, a forma que Ele desejar.

Os crentes que estão em relacionamento íntimo com Jesus a cada dia estão cheios de Sua Vida. Estes indivíduos estão cons­tantemente fazendo algo, pois o seu Senhor os está dirigindo dia a dia. Eles estão visitando os doentes. Estão compartilhando o Evangelho. Estão procurando solucionar as necessidades dos outros e pedindo a Deus maneiras para conseguir fazer isso. Estão cuidando dos pobres. Estão orando uns pelos outros e constantemente procurando um meio de ministrar Cristo uns aos outros.

Tais cristãos estão sempre juntos, porque o Espírito de Deus os está incitando a procurar a companhia e a amizade dos ou­tros. Estão se encontrando, orando juntos e louvando juntos. Estão sendo edificados e mantidos unidos pelo Espírito Santo. Não há necessidade aqui de controle humano. Não há homem algum ou grupo algum que esteja planejando ou organizando isso. A direção é sobrenatural. A Vida de Cristo irá produzir todos os atributos da Igreja que vimos no Novo Testamento.

Todos os elementos da Igreja devem ser um produto da Vida sobrenatural de Cristo: quando nos encontramos; onde nos encontramos; como os encontros são conduzidos; o uso dos dons; a função dos vários ministérios; nosso relacionamento com os outros membros do corpo; quando atuamos juntos; quando vamos orar; como, quando e onde iremos evangelizar; o exercício de qualquer tipo de liderança; etc. Cada aspecto singu­lar da Igreja deve ser um produto da Vida Divina. Cada atitude, movimento ou atividade do corpo deve ser um resultado da Vida e da direção do Cabeça da Igreja. Enquanto isso não acon­tecer, haverá apenas uma forma religiosa e morta.

Jesus ressuscitou da morte. Ele está vivo hoje e é capaz de nos liderar. Porque Ele vive e Se move por meio dos diferentes membros de Seu corpo, a forma de Sua Igreja começa a se ma­nifestar. Quando ministramos Jesus Cristo uns aos outros, a morada de Deus está sendo construída. Quando o Espírito de Deus flui dentro de nós e através de nós, esta edificação sobre­natural aparece. É a Vida de Deus que habita em nós e que é ministrada aos outros por meio de nós. É o próprio Senhor Jesus vivendo e Se movendo por meio de Seu povo para preparar a Sua Noiva. Esse é o modo, na verdade o único modo, pelo qual a Igreja pode ser edificada.

Queridos irmãos e irmãs, precisamos edificar com Vida. Não devemos tentar arrumar a Igreja do jeito que julgamos ser corre­to. Não precisamos planejar, controlar ou organizar as pessoas para conseguir a forma que achamos ideal para a Igreja.

Não há absolutamente nenhuma necessidade de homens e mulheres tentarem manipular a outros para conseguir uma aparência bíblica. Não somos chamados a usar métodos humanos para atingir metas sobrenaturais. O segredo de cons­truir a Igreja viva é ministrar Jesus aos outros. Sua Vida sempre irá produzir a Noiva pela qual Ele tem ansiado.

Deus não depende de nossas habilidades organizacionais para reunir um grupo de pessoas e mantê-las unidas. Ele não espera ansiosamente que usemos nossos dons para impressio­nar um número adequado de indivíduos, a fim de podermos constituir uma "igreja". Não é necessário moldarmos os outros a algo que julgamos ser o desejo de Deus. Nosso Deus não mora e nem irá morar nesses templos construídos por mãos humanas. Ele está procurando por uma casa viva. Esta casa é resultado de Sua Vida crescendo dentro de homens e mulheres.

Sabemos pelas Escrituras que Jesus está procurando por uma Noiva. Vamos tomar como ilustração o exemplo de um homem. Normalmente, o homem está muito interessado na beleza e na forma de sua futura esposa. Essas coisas são impor­tantes para ele. Ele pode, então, sair e comprar um manequim? Esse objeto pode ser excepcionalmente atraente e bem feito, mas irá satisfazê-lo? Claro que não! Este homem está procurando por alguém vivo, cheio de vida, que possa responder a ele de muitas maneiras diferentes.
Da mesma forma, Jesus nunca iria desejar entrar em uma união matrimonial com uma forma vazia. Ele está procurando por alguém que esteja vivo, cheio de Sua própria Vida. Conseqüentemente, nunca deveríamos fazer da forma a nossa meta, mas sim permitir que a Sua Vida crie Sua Noiva da maneira que Ele a deseja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário